Quem está escrevendo a sua história? O Amor ou o Medo.

February 12, 2019

 

É muito comum que hesitemos nas tomadas de decisões na nossa vida. Até aí ok!

 

Mas vamos lá, já vou começar causando e perguntar a você o que realmente te impede de alcançar os seus objetivos e o que te motiva?

 

É o medo do que os outros vão falar? E o medo de não dar certo? Medo ter perdido tempo?

 

Bom, se queres sentir algum medo eu sugiro o medo de não se arriscar! Te sugiro também que se fascine pelo que faz, o estado de fascinação vai te manter motivado e forte para superar os desafios da caminhada.

 

A grande maioria dos medos tem uma raiz comum: O medo de errar! Pelo menos é o que mais a gente se conta não é mesmo? 

 

Ora meu caro, minha cara, esse medo nada mais é do que uma baita prepotência disfarçada. Onde já se viu não poder errar?  

 

Deixa eu te contar uma coisa, você não vai acertar de primeira, mas as tentativas vão te aperfeiçoar,  o erro vai te levar ao sucesso, vai te levar a realização dos teus objetivos. Então erre! Mas erre com gosto!

 

Vou compartilhar com você uma história pessoal.  Quando eu me mudei pra Austrália logo no começo, eu tinha muito medo de falar inglês, eu era muito perfeccionista e tinha pavor de errar, bom eu estava aprendendo um novo idioma, era óbvio que eu ia errar, e muito!  

 

Eu me dei desculpas como “eu tenho esse medo por não querer ser mal compreendida, mal interpretada. E se as pessoas não me entenderem vão achar que eu sou boba.  E se eu não conseguir comunicar a minha verdade de maneira adequada?” bom, essas foram apenas algumas das historinhas que contava a mim mesma. Quem ouve assim até compra essa história né? 

 

É! eu as comprei e ainda paguei caro. Todas essas "desculpinhas prontas" na verdade eram o que? Perfeccionismo e prepotência!

 

Imagina só,  se eu erro em português que é a minha língua nativa como eu não iria errar uma língua que eu estava aprendendo e falando por  apenas poucos meses? É pra rir não é mesmo?  

 

Com o “mistério”  da prepotência desvelado dei umas boas gargalhadas lembrando das situações que me coloquei por conta desse perfeccionismo, sim foram inúmeras situações hilárias, que eu passei a ver depois que eu matei a charada, porque na hora que eu estava com medo eu tremia mais que "vara verde". Depois disso tudo, passei a me comprometer com a mensagem que tenho a passar. É claro que  uma mensagem profunda e  bem dita tem muito impacto, mas isso se aperfeiçoa com o tempo com cada erro corrigido ao longo do caminho. O importante não é não cair mas  saber levantar.

 

Bom, depois de muito suar frio quando tinha que abrir a boca pra falar principalmente com pessoas que eu achava que estariam me julgando ou me corrigindo mentalmente, eu percebi algumas coisas:

 

Uma delas é que não importa a língua que eu fale, desde que eu comunique com o meu coração as pessoas entendem antes mesmo de eu começar a falar. Por ironia do destino ou não, acabei dando aulas de dança utilizando comunicação não-verbal  (qualquer hora dessa falarei sobre esse assunto), sim eu quase não usava a minha voz pra dar aulas no The Healing Dance program para os grupos de refugiados, eles não falam português ou inglês, e eu não falo a língua nativa deles. Pasmem tivemos uma conexão incrível!

 

Já as outras pessoas que não me entendiam simplesmente pediam pra eu repetir ou explicar melhor, pois a mensagem chegava aos ouvidos dos que estavam mais interessados  no que eu tinha pra falar do que com a minha gramática ou sotaque.

 

E as pessoas que me julgavam faziam isso por elas, não por mim, logo não era problema meu. Entender isso foi libertador!

 

Esse foi o inicio da minha tagarelice em inglês, passei a ficar mais confortável com o idioma e com os meus erros,  o ápice pra mim foi quando eu comecei a contar piada em inglês e fazer as pessoas rirem, isso foi poderoso pra mim naquela época.

 

Foi aí que comecei a gravar mais vídeos nesse novo idioma sem me preocupar muito com o sotaque ou os erros que cometia e ainda cometo. Comecei dando pequenos passos que me fortaleceram, gravava vídeos de no máximo um minuto, hoje em dia não me preocupo mais  com o tempo. Passei a redirecionar a energia que estava investindo no medo para o amor que tenho pelo meu trabalho e pela minha missão de alma. 

 

Estou contando essa história pra te dizer que sim você vai errar! E não tem problema, o problema é você permanecer no erro. Ria dos seus erros, não leve isso tão a sério, leve a sua mensagem a sério, se preocupe com a qualidade e a pureza dos seus sentimentos e tenha humildade para assumir e aprender com os seus erros. 

 

O único problema que de fato eu vejo aqui é você não se colocar porque não vai ser perfeito logo de cara, está na hora de você trazer a sua luz pra o mundo! Apenas comece, faça, expresse, e vai polindo com o tempo. Deixe o amor e a leveza escreverem a sua história. 

Erre! Mas erre com gosto! 

 

Com carinho, 

Samya Fraxe

Please reload

Recent Posts

January 26, 2019

Please reload

Archive

Please reload

Tags

Please reload

BLOG